Bem vindo à Oncologia-EuSaúde
A Rede Onco Vida foi idealizada para reunir pacientes, parentes, amigos médicos, profissionais e toda a comunidade interessada nas políticas de prevenção e tratamento do câncer.
Junte-se a nós e compartilhe suas dúvidas, experiências e contribua para o crescimento da Rede.
Registrar-se é muito fácil, basta preencher os campos para obter a sua nova conta.
Crie a sua conta
Bem vindo à Oncologia-EuSaúde
Veja o que outras pessoas como você estão comentando na nossa comunidade.
Atualize o seu perfil, interaja com outras pessoas no seu mural e registre a evolução do seu tratamento e o seu estado de saúde.
 
Última atualização: quinta-feira, 31 de março de 2016 14:25:12
Dr. Francisco de Assis Bravim de Castro Atualizado em 18 de maio de 2015 Câncer

DOR ASSOCIADA AO CÂNCER

O câncer é uma doença de prevalência crescente no mundo, com alta morbidade e mortalidade. A dor associada ao câncer é frequente, acometendo cerca de 70% dos doentes com doença avançada.

A OMS considera que a dor oncológica pode ser adequadamente controlada em mais de 90% dos casos, mas infelizmente grande parte dos pacientes não tem acesso ao tratamento adequado – apesar do tratamento da dor ser considerado como Direito Humano desde 2004.

A dor deve ser interpretada em sua dimensão física, emocional, social e espiritual; é um fenômeno complexo, multifatorial e difícil de ser avaliada, e compreender possíveis fatores psicológicos e sociais associados é importante. Conhecer a doença, o prognóstico, e a condição clínica do paciente é essencial para estabelecer o melhor tratamento possível. A associação de várias medicações é um método efetivo, não oneroso, e com baixo potencial de risco, desde que respeitadas às interações medicamentosas e a condição clínica do paciente.

A dor associada ao câncer deve ser tratada de forma holística, privilegiando-se o cuidado ao paciente, mas com atenção aos familiares e amigos que compartilham deste sofrimento. O cuidar não se restringe à cura, mas assume um significado maior. Antes de tratarmos a doença, devemos priorizar o tratamento da pessoa que sofre, seus medos e anseios, respeitando toda a dimensão biopsicossocial e espiritual inerente ao universo individual de cada um.

Publicado em 18 de maio de 2015 Atualizado em 18 de maio de 2015
Comentários desta publicação